Expectativas de Mudanças: Equipes que podem mudar TUDO no decorrer da temporada 2021-22 da NBA

Inicio de temporada traz sempre grandes expectativas, mas o que será que podemos esperar das equipes? Veja!

Durante o intervalo entre uma temporada e outra, muitas expectativas boas são criadas à respeito do desempenho das equipes na próxima temporada.

Contudo, é importante que todo esse otimismo tenha uma pitada de realidade em algum momento, e com as mudanças nas equipes já realizadas, chegou o momento de olharmos para as equipes com o “pé no chão”.

A temporada de 2021-22 começa em alguns dias (19 de outubro de 2021) e já temos alguns pontos de interrogação pairando em cima de várias equipes. Alguns times poderiam resolver seus problemas, mas não conseguiram. Outros tiveram um bom desempenho no verão, porém é provável que estes tenham feito escolhas erradas na composição da equipe considerando que estejam criando expectativas em cima de jogadores que tiveram um grande volume de atividade e talvez possam deixar a desejar mais lá na frente.

Essas são algumas razões de inúmeras que poderíamos listar para falar melhor sobre o que pode trazer a “autodestruição” para as cinco equipes abaixo até o prazo final para fechar as trocas.

Chicago Bulls

Os Bulls tem grandes chances de conseguir fazer sua equipe funcionar e se caso não acontecer, não será por falta de tentativa.

Buscando manter Zach LaVine (atual All-Star) na equipe, Bulls trouxeram Nikola Vucevic e DeMar DeRozan (All-Star anteriores) e um possível futuro All-Star, Lonzo Ball para convencer Zach de fechar um novo contrato antes que o prazo de seu contrato anterior expire.

Em teoria, Bulls têm a promessa de ser uma equipe muito melhor do que na última temporada, porém só a teoria não faz o jogo e sim, a prática. Eles somaram quarto campanhas seguidas de derrotas, saíram da competição antes mesmo do convite para um torneio play-in. Apesar de ser um bom progresso garantir isto dessa vez nessa temporada, não é ótimo já que o time fez grandes investimentos.

Aproveitando o tópico, Chicago se mostra bem limitado falando de questões defensivas criadas ao acrescentar LaVine, Vucevic e DeRozan juntos. Os três dariam uma ótima equipe ofensiva, mas ainda sim, isso se mostra mais como um bom ataque do que como um grande.

Para uma tranquilização da diretoria da equipe, LaVine precisa assinar uma prorrogação nesse intervalo entre as temporadas, principalmente em fevereiro caso os Bulls não se mostrem uma equipe forte para disputa dos playoffs. E com a saída de LaVine, talvez a equipe não tenha mais interesse em manter Vucevic, de 30 anos. Ele terão duas opções: pagar $46 milhões à Vucevic por duas temporadas ou $81,9 milhões para manter DeRozan por mais três temporadas.

Minnesota Timberwolves

Desde 2004, Minnesota Timberwolves só chegou aos playoffs apenas uma vez. Jimmy Butler foi responsável por esse marco, porém o time levou bomba logo depois.

Ou seja, neste momento, a paciência deles não tem sido uma virtude. Apesar da equipe poder usar a desculpa de que Karl-Anthony Towns, D’Angelo Russell e Anthony Edwards jogaram apenas 24 jogos juntos, desta vez as desculpas não terão espaço.

Towns tem 25 anos e pode se candidatar à free agency em 2024. Russell também tem 25 anos e obterá uma agência gratuita um ano antes. É agora ou nunca subir na classificação, e entre a profundidade da Conferência Oeste e algumas questões não resolvidas com esta lista, é justo imaginar se isso simplesmente não vai acontecer para os Wolves.

Na temporada anterior, Minnesota teve a sétima pior defesa da história da NBA. A melhora que podemos esperar é que trazer Patrick Beverley irá ajudá-los, porém como ocorreu a desistência da equipe por Ricky Rubio, terão que fazer uma jogada lateral. Taurean Prince, que chegou recentemente, não é um dos melhores quando se fala de defesa já que teve uma uma performance mediana nas últimas quatro temporadas.

Os Wolves se tornam mais interessantes quando se fala em negociações para Ben Simmons, de acordocom Jon Krawczynski do The Athletic e o jogador tem uma versatilidade que seria boa para a equipe. Mas, os Wolves não querem abrir mão de Towns, Edwards ou Russell para ter Simmons, e isso acaba se tornando inviável já que as chances de Philadelphia 76ers trocar Simmons por algum dinheiro a mais não são prováveis.

Minnesota, no entanto, mostra um bom ataque, porém vão precisar de um gás a mais para a defesa. Parece possível, mas a equipe não tem necessariamente um craque principal na equipe o que nos deixa indiferentes sobre o que esperar.

Portland Trail Blazers

De cinco temporadas, Portland Trail Blazers finalizou o ano com uma eliminação logo no primeiro turno. O gerente geral acredita que tirar o técnico Terry Stotts e colocar Chauncey Billups pode trazer uma esperança para equipe. Mas será que realmente é possível?

Damian Lillard se mostra cético quanto à isso:

“Eu não discordo que talvez Chauncey pode realmente mudar a nossa equipe e nos tornar um time melhor e obter indo nessa direção,” Lillard disse em julho, por do B/R Sean Highkin. “Mas acho que se você olhar para o nosso time no início da próxima temporada, não vejo como você pode dizer: ‘Esta é uma equipe campeã. Precisamos apenas de um novo treinador.'”

Lillard fez um apelo e teve como resposta de Olshey as contratações de Cody Zeller, Tony Snell e Ben McLemore, trocando por Larry Nance Jr.

Nance é um bom reforço, porém ele não tem como fazer toda a defesa sozinho. Estão considerando toda essa movimentação dos Blazers a terceira pior na história da NBA e se mostra cada vez mais incompetente enquanto mantiver Lillard e CJ McCollum juntos na defesa.

Os Blazers podem ser bons – eles têm sido durante a maior parte do mandato de Lillard – mas isso é um ponto discutível quando Lillard deixou claro que não é bom o suficiente. Ele deixou a porta aberta para pedir para sair, e se a falta de um caminho para o campeonato em Portland o forçar nessa direção, os Blazers podem rapidamente cair em uma liquidação de tudo que precisam.

Com a saída de Lillard, Portland poderia chegar a conclusão de que McCollum, Nance, Jusuf Nurkic, Robert Covington e Norman Powell seriam descartáveis.

Toronto Raptors

Os Raptors dizem ser experientes, então garantem que não há necessidade de mudanças gritantes, mesmo com a saída de Kyle Lowry da free agency.

“Vamos criar nossa própria direção”, disse o presidente do Raptors, Masai Ujiri, a repórteres . “Repito: vamos continuar a desenvolver estes jogadores e vamos encontrar uma forma de ganhar um campeonato aqui com base no nosso desenvolvimento dos nossos jogadores.”

Os jogadores que estão liderando a equipe, neste momento, são Siakam e VanVleet. Eles foram peças fundamentais no título da franquia. Tendo eles na equipe, os Raptors ainda podem ter alguma esperança nesse elenco.

Porém, se nada der certo, os dois jogadores são ótimos ativos para trocas que levem a equipe para uma reconstrução. E, segundo a direção, os Raptors são capazes de se reconstruírem sem muito esforço. Isso de dá, pelo fato de muitos dentro da franquia consideram Scottie Barnes um possível substituto de Siakam e Malachi Flynn, o de VanVleet.

Goran Dragic e Chris Boucher estão com seus contratos por vencer e os Raptors podem capitalizar jovens e escolhas de draft, caso a equipe não mostre sinais que pode ir longe ao chegar no período de abertura de janela de trocas.

Washington Wizards

Bradley Beal tem uma rota direta para o free agency de 2022. Com isso, o futuro dos Wizards paira sobre o ar.

O lado positivo para eles é que neste período de entressafra buscaram montar uma boa equipe em volta dele, trazendo Spencer Dinwiddie para ajudar na defesa, um novo elenco de apoio contando com Kyle Kuzma, Kentavious Caldwell-Pope, Montrezl Harrell e Corey Kispert e trazendo também um novo técnico, Wes Unseld Jr.

Os Wizards deveriam ter um clube mais completo desta vez, mas seu teto pode ficar aquém de uma aparência de segunda rodada. Verdade seja dita, eles podem ter problemas para acertar uma marcha tão alta quanto no final da temporada passada, quando Beal e Russel Westbrook os levaram a um final de 17-6.

Deni Avdija tem a chance de demonstrar seu melhor desempenho, e é possível que Isaiah Todd se mostre com uma descoberta sendo a 31ª escolha deste ano. Porém, Kispert não tem muito a oferecer, e apesar de ter a possibilidade de Rui Hachimura ter algum potencial a surgir, ele ainda é um artilheiro de 23 anos.

Se Beal precisa ver um mapa do campeonato, ele pode precisar de uma mudança de endereço. E se ele quiser sair, todas as apostas para os Wizards estão canceladas no prazo. Eles ficariam com os jovens, mas todos os outros poderiam estar disponíveis para o lance mais alto. Beal poderia entregar o resgate de um rei, e os Wizards terão mais facilidade em navegar no mercado de comércio depois de transformar o gigantesco contrato de Westbrook em negócios mais digeríveis.

Torcedora do Toronto Raptors. Administradora do grupo NBA Brasil no Facebook. Profissional de Educação Física (Estácio) e desenhista nas horas vagas, com especialidade em Realismo.

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.