A melhor troca para Ben Simmons e para o Philadelphia 76ers – Qual seria a melhor oferta?

Os vários rumores apontam que há chances reais de Ben Simmons ser trocado. Será que o 76ers encontrará a oferta ideal? Qual seria ela? Discutimos nesse artigo uma troca que seria boa para todos os envolvidos.

O destino de Ben Simmons parece ser a principal atração da offseason que se aproxima. Os rumores já haviam começado antes mesmo do seu baixo desempenho nos playoffs desse ano. Porém, a série contra o Atlanta Hawks e a eliminação que poucos esperavam só potencializaram as conversas sobre o futuro do jovem armador.

O que antes era negado por todos na Philadelphia, parece que agora é algo que realmente pode acontecer. Segundo apurou o site The Athletic a franquia liderada por Daryl Morey pode abrir conversas com qualquer outra equipe que oferecer um All-Star em compensação no negócio:

Os 76ers abriram conversas em torno de Simmons com outras equipes, disseram fontes ao The Athletic”, escreveu o renomado jornalista Shams Charania.  Ele ainda disse: “Essas fontes também dizem que as equipes que abrirem negociações com o 76ers sobre Simmons encontraram um limite de preço alto. A franquia quer em troca um jogador do calibre All-Star”.

Mesmo com as últimas atuações abaixo da média, o armador ainda tem muito mercado dentro da NBA. Seu histórico de premiações e sua idade (25 anos) são fatores levados em conta por muitos managers que cuidam das negociações pelas franquias.

Porém, há um destino que parece ser o mais indicado tanto para o atleta como para as franquias envolvidas: O Portland Trail Blazers. A equipe de Damian Lillard conseguiria suprir suas carências defensivas e, em contrapartida, o Philadelphia 76ers melhoraria, e muito, sua questão de espaçamento em quadra.

Mas qual seriam as melhores peças para convencer o 76ers e Daryl Morey a cederem um jovem tão promissor como Ben Simmons? Segundo levantado pelo repórter Andy Bailey do Bleacher Report, CJ McCollum é a peça ideal para que essa troca seja vantajoso para os dois lados.

Primeiro, é importante frisar, como fez Andy Bailey em sua matéria, que alguns pontos não tão favoráveis para os 76ers existem e devem ser colocados na mesa: McCollum é 5 anos mais velho e 20 centímetros mais baixo do que Ben Simmons.

Com isso, alguma compensação deve existir para a troca ser concretizada. Ceder escolhas de draft e outro jovem jogador poderia ser o suficiente para o Blazers fechar esse negócio.

Como Ben Simmons se encaixaria no Portland Trail Blazers?

O principal encaixe em uma eventual ida para jogar ao lado de Lillard seria na defesa. O time do Portland ficou entre os 5 últimos nesta temporada em pontos permitidos a cada 100 posses de bola. A presença de Ben Simmons resolveria muitos desses problemas de forma instantânea.

No ataque, Simmons teria como dividir as responsabilidades de condução e armação com Lillard. Com a confiança em dia, Simmons é um ótimo finalizador embaixo do aro e, caso esteja com a bola em mãos, ele conseguiria fazer o passe para que Lillard finalizasse as jogadas, principalmente, da linha dos 3 pontos.

O quinteto ideal seria: Lilard, Simmons, Powel, Covington e Nurkic – certamente, um dos favoritos para buscar uma das vagas diretas para os playoffs.

Como CJ McCollum se encaixaria no 76ers?

Apesar de não ser um armador de oficio, CJ McCollum pode desempenhar esse papel de forma digna. Ele, costumeiramente, assume a função de carregar a bola e armar as jogadas quando Lillard não está em quadra. Portanto, ele pode repetir tal função numa eventual trocar com o 76ers e Ben Simmons.

Porém, o principal ganho para o time do treinador Doc Rivers seria no espaçamento de quadra. Durante anos, Simmons e Joel Embiid estiveram no caminho um do outro no ataque. O garrafão do time ficava congestionado e faltava um bom arremessador de 3 pontos. A chegada de Seth Curry ajudou a resolver esse problema, porém, CJ McCollum seria a cereja do bolo que faltava.

McCollum fez médias de 40,2% nas bolas de três e registrou as melhores marcas da sua carreira em: pontos (23,1), tentativas de três pontos (8,9) e assistências (4,7) por jogo em 2020-21. Com ele em quadra, os problemas de espaçamento quase certamente seriam resolvidos. Os adversários teriam que respeitar mais o perímetro, o que reduziria o número de marcações duplas enfrentadas por Embiid.

E você, acha que essa troca seria a mais vantajosa para todos os envolvidos?

Flavio Carvalho
Torcedor do LA Clippers. Gestor de Projetos e Pessoas da WebGo Content. Especialista em SEO e novos Projetos. Formado em Relações Públicas (PUC/PR) e experiência de mais de 10 anos no Marketing Digital.

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.