5 All-Stars que já assinaram contrato de 10 dias na NBA

Os contratos de 10 dias podem ser recompensadores para algumas equipes da NBA. Por meio deles, eles podem trazer jogadores para ajudar a preencher seu elenco em caso de lesões. Em alguns casos, contratos de 10 dias também são oferecidos pelas equipes para avaliar as habilidades de um jogador antes de se comprometer com um acordo de longo prazo.

Embora os contratos de 10 dias sejam benéficos para as equipes, não são muito lucrativos para os jogadores. Mas com a idade e lesões recorrentes, esta pode ser a única opção para alguns jogarem novamente. Listamos alguns All-Stars que assinaram contratos de 10 dias em um ponto ou outro de suas carreiras.

Vejamos 5 All-Stars que já assinaram contrato de 10 dias na NBA:

# 1 – DeMarcus Cousins

DeMarcus Cousins assinou dois contratos de 10 dias com o Los Angeles Clippers. O center foi draftado pelo Sacramento Kings em 2010 e ficou com a equipe por 7 temporadas.

Ele foi negociado com o New Orleans Pelicans na temporada 2017-18, onde ele estava no seu melhor e teve várias performances memoráveis. No entanto, na mesma temporada em que fez sua primeira aparição no All-Star, as coisas começaram a piorar para o jogador.

+ Oferta Única – Bola Spalding

Cousins perdeu 11 meses em 2018 devido a uma ruptura no tendão de Aquiles. Ele voltou para a NBA em 2019 depois de assinar um contrato de um ano com o Golden State Warriors.

Em julho de 2019, o Los Angeles Lakers contratou o center, que não atuou na temporada 2019-20. Ele teve uma lesão no ACL durante um jogo da pré-temporada e foi descartado indefinidamente. Como resultado, ele foi dispensado em fevereiro de 2020.

Cousins teve o mesmo destino dois meses depois de assinar com o Houston Rockets em dezembro de 2020. Ele teve médias de 9,6 pontos e 7,6 rebotes em 25 jogos disputados pelo Houston. Insegura sobre sua condição física, sua franquia atual, o Los Angeles Clippers, ofereceu a ele contratos de 10 dias consecutivos, mas não é certo que ele continue na equipe até o final da temporada.

# 2 – Shaun Livingston

O armador ficou de fora da temporada 2007-08 e foi liberado para voltar a jogar em 2008, mas não era mais desejado pelo Clippers. Livingston assinou um contrato de dois anos com o Miami Heat em outubro de 2008. Depois de jogar apenas 4 jogos pelo Heat, foi negociado com o Memphis Grizzlies, que o dispensou no mesmo dia da negociação.

Eventualmente, Shaun assinou dois contratos de 10 dias com o Washington Wizards e foi contratado até o final da temporada 2009-10.

Em 2014, ele assinou com o Golden State Warriors, e foi o início de um período incrível, pois ele ganhou três campeonatos da NBA com a equipe. No final, os contratos de 10 dias foram fundamentais para ele recuperar sua forma.

# 3 – Phil Chenier

As coisas começaram a dar errado para Chenier logo após sua terceira participação no All-Star em 1977. Ele nunca foi titular no Washington Bullets depois de voltar de uma lesão nas costas.

Chenier não teve outra opção a não ser assinar um contrato de 10 dias com o Golden State Warriors em uma tentativa de lutar por seu caminho de volta. No entanto, ele nunca esteve em seu melhor durante seu tempo com o Warriors.

# 4 – Isaías Thomas

Isaiah Thomas é um jogador de basquete habilidoso que começou sua carreira na NBA em 2011 após ser draftado pelo Sacramento Kings. Ele jogou pelos Kings por três anos antes de ser negociado com o Phoenix Suns.

As coisas melhoraram para o armador em 2015, depois que ele foi contratado pelo Boston Celtics. Desempenhos estelares nas temporadas 2015-16 e 2016-17 garantiram a Thomas uma aparição no All-Star.

Thomas contribuiu e muito para o desempenho do Celtics nos playoffs da NBA de 2017. Sua alta pontuação nos playoffs ajudou o Celtics a chegar às finais da Conferência Leste. No entanto, a equipe não tinha o suficiente para avançar para as finais da NBA.

Depois de dois jogos nas finais da Conferência Leste, Thomas sofreu uma lesão no quadril. Na offseason ele foi negociado com o Cleveland Cavaliers, mas não pode jogar imediatamente por causa da lesão.

Thomas fez sua estreia no Cavaliers em janeiro de 2018 e registrou um double-double vindo do banco. Em fevereiro, ele foi negociado com o Los Angeles Lakers. Pouco depois, ele ficou de fora novamente devido a uma lesão no quadril.

Ele passou um ano com o Denver Nuggets antes de assinar com o Washington Wizards em julho de 2019. O Clippers então o adquiriu no final do prazo de negociações, mas dispensou o armador dois dias depois.

IT assinou um contrato de 10 dias com o New Orleans Pelicans em abril de 2021. Infelizmente, ele novamente é um free agent, já que o Pelicans se recusou a renovar seu contrato de 10 dias. Ele participou de 3 jogos e teve médias de 7,7 pontos, 1,3 rebotes e 1,7 assistências.

# 5 – Iman Shumpert

Embora não seja um dos nomes mais populares da NBA, Shumpert ganhou um anel de campeão com o Cleveland Cavaliers. O armador de 30 anos foi negociado com o Kings em 2018 depois de sofrer uma lesão no joelho em dezembro de 2017.

Ele não jogou pelo Kings até o final da temporada 2017-18, mas foi contratado pelo Houston Rockets.

Sua participação no Brooklyn Nets é interessante, pois ele foi contratado três vezes pelo Nets de 2019 a 2021. Ele foi inicialmente contratado porque Wilson Chandler estava cumprindo uma suspensão de 25 jogos. No entanto, ele foi dispensado imediatamente após o término da suspensão.

Ele foi contratado novamente em janeiro de 2021, mas foi dispensado após um jogo. Seu acordo mais recente foi um contrato de 10 dias com o Brooklyn Nets. O jogador agora voltou a ser um free agent, já que não foi contratado após o término do acordo.

+ Veja o calendário de jogos da NBA na TV brasileira.

Imagem: NBA.

Siga as nossas redes sociais: InstagramFacebook e Twitter.

Mazinho Castelar
Mazinho Castelar amante de basquete e criador do Bskt Brasil.

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.