3 questões para o L.A. Clippers ficar atento no segundo jogo contra o Dallas Mavericks

Para ter chances de avançar para a próxima rodada, o L.A. Clippers precisa fazer alguns ajustes em seu jogo. Veja quais são essas alterações necessárias para o time do técnico Ty Lue.

É indiscutível que o time do L.A. Clippers é mais profundo e possui peças mais qualificadas do que o time do Dallas Mavericks. Durante a temporada regular inteira assistimos a diversas formações que mostraram solidez e consistência da equipe – levando o Clippers ao 4º lugar da Conferência Oeste sem muito esforço.

Porém, é preciso muito mais do que um bom time no papel para vencer uma série de playoffs, principalmente, quando há do outro lado da quadra um talento muito acima da média como Luka Doncic.

Por isso, o técnico Ty Lue precisa ficar atento a 3 importantes questões – caso ele realmente queira levar o time de Kawhi Leonard e Paul George para a próxima rodada dos playoffs. Confira:

Bolas de 3 pontos e lances livre

O L.A. Clippers entrou na fase aguda da competição com a melhor média entre todas as franquias da liga na bola de 3 (e uma das maiores da história). Porém, no primeiro jogo da série contra os Mavs essas bolas não entraram. A média da temporada regular que foi de 41,1% de acertos ficou em míseros 27,5%.

O mesmo vale para os lances livres. A equipe vinha com uma sólida média de 83,9% de acertos (também entre as maiores da temporada regular). Porém, no embate deste sábado (22/05) esse números, assim como as bolas de 3, ficaram bem abaixo do esperado: 75% de acerto.

Definição da Rotação principal

Já falamos da profundidade do elenco do L.A. Clippers, porém, nos playoffs, isso vale muito pouco. É muito comum acompanharmos rotações mais curtas e poucas surpresas entre os jogadores que entram em quadra.

Devido as seguidas lesões em momentos diferentes da temporada regular, Ty Lue pouco pode testar o time principal para identificar as principais virtudes e carências no momento em que a bola está em jogo.

A movimentação de Luka Doncic e as seguidas trocas de marcação acabaram por expor a fragilidade defensiva da equipe angelina. Ivica Zubac, apesar dos bons números no ataque, mostrou-se pouco efetivo na defesa e teve que sair cedo do jogo. Faltou um pouco mais de Patrick Beverley ou, até mesmo, Kawhi Leonard na marcação de Doncic.

De acordo com algumas entrevistas do pós-jogo, Ty Lue pode estar pensando em efetivar Kawhi como o marcador principal do esloveno. O risco é carregar a principal estrela do time em faltas logo no primeiro tempo, porém, manter do jeito que está trará muitas dificuldades para o time do Clippers.

Clutch Time – Uma das deficiências do time durante toda a temporada

Encerrar os jogos em alto nível vem sendo uma das principais dificuldade do L.A. Clippers durante toda a temporada. E não foi diferente nesse primeiro jogo da série – onde o Dallas Mavericks fez uma corrida de 3-13 nos dois últimos minutos.

O time desperdiçou oportunidades de ataques que manteriam a franquia na disputa e foram bem questionáveis na defesa – não conseguindo parar as ações, principalmente, de jogadores secundários como D. Finney-Smith e J. Brunson.

Jogos de playoffs, historicamente, se mantém disputados até os minutos finais, por isso, o time precisa ficar muito mais atento e com foco em manter o basquete de alto nível se quiser atingir os objetivos finais.

Flavio Carvalho
Torcedor do LA Clippers. Gestor de Projetos e Pessoas da WebGo Content. Especialista em SEO e novos Projetos. Formado em Relações Públicas (PUC/PR) e experiência de mais de 10 anos no Marketing Digital.

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.